Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Entre violador e violada ninguém mete a colherada

Ontem foi rejeitada a proposta para transformar a violação em crime público. A razão para isso foi que é imperativo defender a vontade da vítima.

Não deixa de ser confuso que, por exemplo, para sofrer agressões do marido, a vontade da vítima não serve para nada. Pode estar ali "alegremente" a apanhar porrada ao longo de vários anos e depois vem alguém de fora estragar aquilo. É que qualquer pessoa tomando conhecimento de uma dessas situações tem o dever de denunciar, a vítima depois logo decide se colabora na investigação ou não. No entanto, a vontade da vítima poderia muito bem ser a de continuar a apanhar para manter o casamento. Sabe-se lá.

Agora, uma mulher pode ser violada e ninguém tem de se meter nisso. Só ela. Passámos anos a tentar mandar o ditado "Entre marido e mulher ninguém mete a colher" abaixo, mas parece que agora temos um novo "Entre violador e violada ninguém mete a colherada". Acaba por ser esquisito.

Felizmente nunca tive contacto nem com uma nem com outra das situações, mas se tivesse conhecimento de alguém que a sofrer violência doméstica provavelmente teria de confirmar também se foi obrigada a fazer sexo ou não. É que já estou a imaginar chegar a uma esquadra e acontecer o seguinte:

Eu: Bom dia.

Agente: Bom dia.

Eu: Queria fazer uma denúncia de uma situação de violência doméstica de alguém que conheço.

Agente: Queria? Mas já não quer? Hehe... Desculpe, fui empregado de um café antes de ser agente.

Eu: ...

Agente: Então a vítima sofreu agressões?

Eu: Sim, tinha umas nódoas negras e tudo.

Agente: Muito bem. E sabe se a obrigaram a ter sexo contra a sua vontade?

Eu: Pois... Não sei... Acho que sim... Não tenho a certeza...

Agente: É que isso já é violação. Tem de ser a própria vítima a vir fazer queixa.

Eu: Bem, sendo assim vou tentar confirmar e depois logo volto aqui conforme a situação.

Agente: Faça isso, faça isso. Tenha um bom dia.

Eu: Bom dia.

Tentar perceber as leis em Portugal é mesmo muito confuso.

Violência Doméstica Institucional

ministra da saude.JPG

Isto já parece aquelas mulheres vítimas de violência doméstica que acreditam que a culpa de apanharem é delas, mas que se portarem bem o companheiro não as vai agredir mais.

A Ministra da Saúde está numa relação abusiva com o Primeiro-Ministro e não se está a dar conta disso. Os sinais estão lá e todos sabemos como estas situações terminam sempre. Ou ela pede demissão do cargo e consegue fugir ou então o Primeiro-Ministro mata-a politicamente.

Esta Porrada Que Te Dou

A nova música do Armando Gama:

Ela diz que eu fui um caso muito sério
Mas eu só sei que há nisso algo de anormal
Havia um tempo, um olhar,
Um sorriso, um começo
Mas agora tudo perdeu seu brilho

Na minha vida só houve um abraço como o teu
Um sonho, um livro, uma aventura sem igual
É linda, linda
Esta porrada que te dou

Podem até pensar que eu sou um pouco triste
Mas não há nenhum mal em ser assim
Pois tudo fica,
Mesmo quando se acaba,
Um romance, uma paixão ou um caminho

Quis escrever a mais bela canção
Que há no mundo,
Olhando para trás
P'ra nos ver
Foi quando ouvi uma voz
Cantando baixinho
Esta porrada que vinha de longe

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub