Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Um bom homem

Jorge Sampaio

Dos Presidentes da República que exerceram desde que nasci já se foram Mário Soares e agora Jorge Sampaio. Se isto continuar a seguir a ordem, Cavaco Silva será o seguinte. Não comecem a pensar que estou a desejar mal ao Cavaco Silva, longe disso. Parece ser apenas a ordem das coisas.

Para mim, quando morre um Presidente da República, sinto que morre um bocadinho de Portugal. Isto parece uma afirmação um bocado parva, mas o que quero dizer é que cada Presidente simboliza determinada era na evolução do país e dos portugueses. Cada um deles desaparece, é como se essa era que eles simbolizam também estivesse a desaparecer.

Sobre a partida de Jorge Sampaio não vou escrever muito, apenas o seguinte. Jorge Sampaio foi advogado e político, duas das profissões mais odiadas de sempre. Ainda assim, a quantidade de elogios que está a ser alvo pelas mais variadíssimas fontes dos mais diversos quadrantes demonstra que era uma figura ímpar e, acima de tudo, um bom homem. Não é para qualquer um.

CMTV a ser CMTV

Afinal 2020 continua a fazer das suas, isto vai ser mesmo até ao fim. Até estou com medo só de pensar quem irá morrer durante as últimas 10 badaladas do ano.

Muita gente fica indignada com a atenção que se dá quando uma figura pública morre quando todos os dias morre gente desconhecida. Claro que todas as mortes são de lamentar ou pelo menos a grande maioria, isso não implica que quando morrem pessoas mais conhecidas, principalmente acontecendo de uma forma inesperada, não se fique surpreendido pelo facto.

No caso da Sara Carreira, era uma rapariga ainda muito jovem, com a vida toda pela frente, que morre num acidente trágico. Foi alguém que muitos dos Portugueses viram crescer ao acompanhar a vida artística e pessoal do Tony Carreira e mais tarde também dos irmãos, Mickael e David. Nos últimos vinte ou trinta anos, gostando ou não das suas músicas, foi impossível escapar à família Carreira. Assim, o sentimento de surpresa e tristeza pelo acontecimento é quase como aquele filho do vizinho que o vamos vendo crescer, até que sabemos que lhe aconteceu qualquer coisa. Aqui foi como se fosse a filha do vizinho de todos os Portugueses. Há uma espécie de sentimento de partilha colectiva.

É verdade que nestes momentos há sempre um conjunto de pessoas que se aproveitam para uma caça ao like, uma forma de "isto é tão triste, mas olhem para mim". Há também quem faça o mesmo, mas na forma inversa, desprezando totalmente o acontecimento. E por fim, há quem o faça falando dos anteriores. Todos nós temos um pouco dessa hipocrisia, em que aproveitamos para nos alimentarmos da desgraça alheia.

No entanto, entre os vários necrófagos que se alimentam dos dramas alheios, o maior é e continuará a ser a CMTV.

Ontem à noite fiquei a saber do acidente quando estava a fazer zapping pelos canais. Fiquei a ver durante um pouco para perceber o que tinha acontecido.

Mostramos o carro todo rebentado com matrícula e tudo, a vítima é uma jovem de 21 anos, a Bárbara Bandeira e o namorado estão à porta do hospital a chorar e agora chegaram elementos da família Carreira. Sabemos quem é a vítima, mas por respeito à família não vamos divulgar o seu nome.

Por essa descrição sabem eles e sabe toda a gente que está a ver. CMTV a ser CMTV.

Hoje de manhã, passo por lá outra vez e estão passar em rodapé a notícia que a família pede paz e privacidade neste momento de dor, enquanto estão com painéis de comentário consecutivos sobre o assunto. Quase aposto que têm estado nisto ininterruptamente desde que aconteceu o acidente. CMTV a continuar a ser CMTV.

Neste momento deve estar a direcção da CMTV reunida a planear a cobertura do funeral da Sara como se fosse uma operação militar das forças especiais:

Vamos analisar aqui as plantas das igrejas, do cemitério e as rotas possíveis. Temos de meter jornalistas aqui, aqui, aqui, aqui e aqui. Metemos câmaras fixas aqui, aqui e aqui e depois umas móveis aqui e aqui. Precisamos também de ter duas unidades de mota para seguir o carro funerário. E para finalizar, um ou dois drones para cobertura aérea. Entretanto, alguém tem algum contacto nas funerárias, a ver se conseguimos colocar uma câmara oculta dentro do carro funerário ou no caixão?

Se há coisa que sabemos na vida é que podemos contar com a CMTV para bater no fundo e andar por lá a chafurdar no lodo toda contente.

O assassinato de George Floyd

Desde o início deste caso da morte de George Floyd que queria escrever um texto sobre o assunto, mas não queria que fosse a quente, porque assuntos destes não devem ser vistos precipitadamente. Como a temperatura sobre este caso está cada vez maior e não parece baixar decidi então avançar, mesmo podendo fazer julgamentos precipitados face ao que se possa vir a saber no futuro.

Este é um caso que me deixou bastante confuso. Não é normal ver-se um homicídio de uma pessoa gravado. Mais, não é normal ver-se o homicídio de uma pessoa ser efetuado por um agente da autoridade, alguém que deveria saber a lei e fazê-la cumprir adequadamente.

Deixou-me confuso também pelo facto de os agentes envolvidos terem sido logo demitidos, mas terem passado quatro dias até o responsável pela morte de George Floyd ser detido e acusado. Quando os despediram, podiam muito bem detê-los na mesma altura.

Finalmente, deixou-me confuso pela associação da morte logo a racismo. O que eu vi foi um homem algemado, imobilizado, a dizer que não conseguia respirar, enquanto um polícia tinha o joelho sobre o pescoço dele, sufocando-o. Neste comportamento eu vejo um abuso da autoridade misturado com um uso excessivo e desproporcional da força. Foi o racismo que fez os agentes procederem daquela forma? Não sei. Tanto pode ter sido como não. No entanto, não há nada ali que me diga que se tivesse sido numa detenção de um homem branco as ações tivessem sido diferentes. Agora que o agente foi detido, provavelmente irão investigar e ver se já teria outros casos anteriores que indiquem comportamentos racistas ou outros casos de violência policial, mas de momento ainda não se sabe de nada. Teremos de esperar para ver, sabendo que, independentemente das circunstâncias, será preciso que a Justiça cumpra a sua função e puna os culpados adequadamente.

Esta situação toda que deveria levar a manifestações de defesa de direitos humanos, independente da cor, foi aproveitada e desvirtuada, levando a pilhagens, tumultos, motins, e ataques às forças de autoridade. Isto é uma mistura explosiva. Num país em que qualquer pessoa pode ter uma arma, em que a criminalidade é violenta e que a ação policial é conhecida por ser musculada, entramos em ciclo na perpetuação de preconceitos e de violência. Nada de bom vai sair dali.

Podemos dizer com certeza absoluta que George Floyd foi morto devido a racismo? Não, não podemos. Podemos dizer que os incidentes posteriores vão despoletar mais racismo? Sem dúvida!

Curioso - parte 2

Há quem defenda que as irmãs do cronista social sejam detidas por lançarem as cinzas do cronista social no respiradouro do metropolitano em Times Square.
Começa a surgir uma onda de indignação entre os novaiorquinos por causa das notícias de que as cinzas de Carlos Castro, assassinado dia 7 num quarto de hotel de Nova Iorque, foram lançadas no respiradouro do metro.
Os comentários dos utilizadores dos sites de vários jornais norte-americanos mostram que os norte-americanos estão indignados. "Isto tem de ser ilegal! Sobretudo se se trata da ventilação do metro", comenta um dos utilizadores do site do New York Daily News. "As irmãs devem ter fumado algumas das cinzas antes de fazerem isto", sugere um outro. "É uma falta de respeito para com as pessoas que inalam as cinzas de uma outras pessoa", diz ainda um outro.
No New York Post, os utilizadores também se mostram indignados com a decisão das irmãs de Carlos Castro, que deitaram parte das cinzas naquele local para honrar o desejo do cronista social, que queria ficar perto da Broadway.
"Parece-me um acto hostil"; "Contaminação ambiental" e "despejo ilegal de restos humanos" são alguns dos comentários dos leitores deste site. in DN
Afinal não fui apenas eu que achei curioso o lançamento das cinzas de Carlos Castro.
As irmãs podiam ter deitado as cinzas numa sanita e puxado o autoclismo. A diferença para o que fizeram não era muita e pelo menos não davam tanto nas vistas.

Curioso

Carlos Castro foi assassinado à pouco mais de uma semana. Apesar de não ser particular fã do sujeito em questão, evitei fazer qualquer comentário sobre todo o caso até ao momento. No entanto, achei curioso as irmãs terem escolhido uma sarjeta para despejarem as cinzas do falecido. Na realidade elas despejaram para um respiradouro do metropolitano de New York, mas a associação a sarjeta é inegável. Melhor do que eu, as irmãs do Carlos Castro lá saberão, depois da vida que o irmão teve, qual o melhor sítio para despejarem as cinzas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub