Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Profissões Pela Verdade

As redes sociais são mesmo uma coisa incrível. Antigamente as pessoas diziam parvoíces sozinhas e pronto, ninguém ligava. Era "Olha um maluquinho. Deixa estar.", como ninguém lhe ligava, ele deixava de estar sempre a dizer maluquices.

Agora os maluquinhos podem dizer maluquices, encontrar outros maluquinhos iguais e alimentarem as maluquices uns dos outros fazendo-as crescer. É mesmo extraordinário.

A parte aborrecida é que depois esses grupos de maluquinhos adoram juntar-se e andar a chatear os outros com as suas maluquices.

Isto não é exclusivo de um tema em específico, mas o mais popular neste momento é a COVID-19, com os seus negacionistas.

Eu já toquei neste assunto anteriormente, mas a quantidade absurda de notícias relacionadas com a COVID-19 faz com que estes seres estejam constantemente a aparecer, sempre com os mesmos artigos e as mesmas tiradas.

Deixem de ser carneiros! O vírus não é nada! É tudo para controlar as pessoas! Não podem viver com medo!

Portanto, se percebo a lógica deste pessoal, não devemos viver com medo de um vírus que mata pessoas e deixa outras gravemente doentes, mas querem que as pessoas vivam com um medo constante de que os Governos todos estão a fazer isto para as controlarem. Faz sentido.

Isto é gente que diz que não toma vacinas, porque o sistema imunitário deve conseguir defender-se e atacar o agente agressor. Claramente não percebem o que é uma vacina e como funciona. Devem pensar que a vacina toma-se depois de uma pessoa já estar doente ou assim. Mais, dizem que não tomam vacinas também, porque nunca ficaram doentes. Sim, ontem apanhei um a comentar com estes argumentos.

Depois adoram ter aqueles grupos de "<inserir_profissão_supostamente_confiável> Pela Verdade". Só para deixar claro, o facto de alguém ter determinada profissão não implica automaticamente que bata bem da cabeça. Há malucos em todas as profissões. No caso do jornalismo basta olhar para a CMTV, por exemplo.

O pior de tudo é que, no meio de tanta parvoíce, há certos temas que fazem sentido serem discutidos. Não podemos ficar eternamente fechados em casa, não podemos descurar outras doenças, muitas das medidas apresentadas pelo Governo são contraditórias, etc. Tudo isto é verdade, mas depois metem-se com teorias da conspiração, negacionismos e afins e uma pessoa não consegue concordar com as ideias que fazem sentido.

Alucinados da COVID-19

Não sei se foi o confinamento que fritou ainda mais o cérebro às pessoas, mas a quantidade de alucinação à volta da COVID-19 é incrível.

Do meu ponto de vista há actualmente dois tipos de pessoas: as normais e as malucas da COVID-19.

No caso das primeiras, são pessoas que se preocupam com a COVID-19, mas não vivem obcecadas com o coronavírus. Vivem a sua vida de acordo com as regras definidas para as coisas com cuidados para evitar contrair o vírus, tentando manter uma certa normalidade na vida. Isto não implica que se concorde com todas as regras que vão sendo aplicadas, podendo mesmo achar-se que algumas devem ser discutidas ou mesmo não implementadas, mas dentro do bom senso. São pessoas que não ficaram totalmente comidas da cabeça durante o confinamento e não ficaram consumidas pelo medo.

Depois temos os malucos da COVID-19 que se dividem em duas categorias, os covidmaníacos e os covidiotas.

Os covidmaníacos são pessoas que vivem com tanto medo da COVID-19 que simplesmente praticamente deixam de viver. São pessoas que provavelmente só saíram umas cinco vezes de casa desde o desconfinamento e foi porque teve mesmo de ser. Meteram-se dentro de um fato protector e foram para a rua. Quando chegaram a casa tomaram um banho de gel desinfectante. Estão constantemente a ver todas a notícias, sempre com medo dos números divulgados. São malucos, mas são benignos, não prejudicam ninguém.

No caso dos covidiotas, é pior. É pior, porque estão constantemente a espalhar desinformação. São pessoas que leram umas coisas na Internet e, de repente, tornaram-se especialistas em virologia e epidemiologia, juntando-as às suas teorias de conspiração. Para eles tudo é para controlar as pessoas. Máscaras? É um açaime para controlar as pessoas. Vacinas? É para implantarem chips e controlar as pessoas. Número de infectados é alto? É para provocar o medo e controlar as pessoas.

Isto é pessoal que acredita que os governantes dos países todos do mundo se juntaram e decidiram que iam lixar a economia mundial só porque querem controlar as pessoas, governos esses que muito provavelmente irão cair do poder devido a esta crise. Isto é pessoal que acredita que os cientistas e médicos do mundo inteiro também se juntaram para inventar que uma doença pode atingir milhões de pessoas e cujos sistemas de saúde não conseguem aguentar.

São pessoas destas que fazem-me acreditar que o grande problema da COVID-19 é não matar gente suficiente. Era ser uma daquelas doenças que mata mais rápido e indiscriminadamente e o Mundo seria muito melhor no futuro. Limpava uns quantos milhões da face da Terra e depois nem precisávamos de nos preocupar com reciclagem ou poluição. Problema ficava resolvido. Assim, temos de nos aguentar com uns quantos parvos a dizer imbecilidades até isto estabilizar.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub