Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Não acreditar em máscaras

malucos pela verdade

Foto António Cotrim/Lusa

Uma das notícias interessantes, digamos assim, deste fim de semana foi a manifestação contra a gestão da pandemia que ocorreu em Lisboa e juntou cerca de 3000 pessoas.

Ora, à partida, não sou contra este tipo de manifestações. Há muita gente a sofrer e razões para nos queixarmos de como a pandemia foi gerida há de sobra. Já têm ocorrido várias manifestações do género. Tudo certo.

Agora, quando se juntam milhares de pessoas sem máscara, tudo ao molho, com cartazes contra as vacinas, não estamos a falar de gente preocupada com pandemia. Estamos sim a falar de uns totós negacionistas que acham que liberdade é fazer-se o que se quer sem consequências. E podem vir dizer que não são negacionistas, mas o que chamar a quem não usa máscara para se proteger e proteger os outros numa multidão? Só negando o vírus e os problemas que o mesmo pode causar. Eu, por exemplo, quando ando na rua sozinho normalmente não ando de máscara posta, mas quando existe a possibilidade de me cruzar com um aglomerado de pessoas de uma forma próxima, coloco-a. Porquê? Porque mesmo que eu me sinta bem e ache que o vírus possa não me afectar fortemente (o que é jogar na lotaria), não sei como poderia afectar outra pessoa com quem me fosse cruzar. É tudo uma questão de respeito pelo próximo, coisa que estas pessoas não têm.

O que não deixa de ser curioso, como podemos ver pela imagem acima, é que muita desta gente nega a utilização das máscaras, mas não nega a utilização de óculos de sol. Não acreditam na protecção das vias respiratórias, mas acreditam na protecção dos olhos. É engraçado.

Esta manifestação também tornou-se mais interessante, porque ficou marcada pela presença de algumas "figuras públicas": Adelaide Ferreira, Sandra Celas e Wanda Stuart. Muita gente ficou surpreendida, mas é uma questão de probabilidades. Em 3000 manifestantes, haver 3 totós conhecidas parece-me normal. Até digo mais, é até um número bem baixo. Se este tipo de manifestações anda a atrair artistas que já tiveram alguma notoriedade, mas que andam arredados da fama faz alguns anos e estão esquecidos, ainda tem muito para crescer.

O facto de serem três pelo menos dá para fazer a piada do bar. Será algo como:

A Adelaide Ferreira, a Sandra Celas e a Wanda Stuart entram num bar. É o LAPO.

Eu vi um LAPO

Eu vi um LAPO

Um feio LAPO

Ali na Bica

Com a porta fechada não fica

 

Tu viste um LAPO

Um feio LAPO

Gritam por liberdade

Nem percebem metade

 

Eu vi um LAPO

Com guardanapos

Estavam a papar

Um bom jantar

 

Tu viste um LAPO

Com guardanapos

E o que comiam

E o que faziam

 

Eu vi um LAPO

A encherem o papo

Tudo comeram

E máscaras não meteram

 

Tu viste um LAPO

A encherem o papo

E o restaurantezoco

Até parece que faz pouco

 

Eu vi um LAPO

Um grande LAPO

Foram retardados

Ficámos zangados

 

Tu viste um LAPO

Um grande LAPO

Deixem-nos lá estar

Uma boa multa vão levar

Péssima ideia de marketing

Não entendo isto do proprietário do restaurante LAPO insistir em não cumprir as regras de saúde pública. É que podiam fazer um protesto, com distanciamento social e com máscaras, mostrando que era possível estarem abertos cumprindo regras. Mas não. Decidem ir pela onda do negacionismo da doença.

Isto é algo que não faz sentido algum e nem sequer falo da parvoíce típica dos negacionistas. Simplesmente pela questão de marketing é algo que não deve ter sido bem pensado. É que pretendem mostrar-se como lutadores pela liberdade, mas o que fica é que são lutadores pela propagação da COVID-19. É esta a mensagem que passa para todos.

Quem é que, após isto tudo terminar, quererá ir de forma frequente a um restaurante que não tem preocupações com a saúde pública? Se não se preocupam com um vírus que provocou um pandemia mundial, iam preocupar-se com uma coisa mais simples como salmonelas? Outras bactérias? Bolores? Provavelmente são também tudo invenções dos poderes instalados para controlar os carneiros, ovelhas ou lá o que é que eles adoram chamar.

A mensagem que passa é que se não se preocupam que um cliente apanhe Covid-19, então também não devem ficar muito preocupados que um cliente apanhe uma bela caganeira. Péssima ideia de marketing.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub