Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Ajudar o próximo

Está a chegar novamente a altura de todos fazermos o nosso IRS. Mais uma vez deixo o apelo para se aproveitar esta ocasião e ajudar entidades que dão o apoio à comunidade através da consignação quando se faz a entrega da declaração anual do imposto.

Apesar de ouvirmos algumas vezes histórias de como existem umas falcatruas, eu ainda sou daqueles que acredita que a maioria faz um trabalho meritório e que tentam ajudar quem necessita. É possível que esteja a ser anjinho, mas, mais do que nunca, nesta altura de muitas dificuldades, parece-me importante contribuirmos mesmo que de forma simbólica.

Como tal, escolham uma entidade que saibam estar a fazer um bom trabalho ou, ainda melhor, vejam na vossa comunidade local alguma que esteja em mais dificuldades, e doem-lhe 0,5% do Rendimento de Pessoas Singulares (IRS). Esta opção não representa um encargo fiscal adicional a quem o faz, uma vez que se trata de uma simples reafectação do dinheiro. Ou seja, em vez de reverter para os cofres do Estado, vai para a conta de uma instituição de solidariedade social, de beneficência ou de assistência humanitária.

Se quiserem ser mesmo, mesmo, mesmo, mesmo boas pessoas, podem consignar a atribuição do benefício fiscal em sede de IVA obtida através das despesas em cabeleireiros e salões de beleza, reparações de carros e motas, restauração e hotelaria e veterinários. Tenham atenção que este valor é efetivamente oferecido por quem doa. Portanto, sou sincero, eu não faço isso. Posso ser solidário, mas calma lá...

Fica aqui a minha ideia, para todos nós podermos ajudar um pouco o próximo, em particular nos tempos complicados com que nos deparamos atualmente.

Lista de entidades autorizadas: https://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/IRS/Pages/IRS_entidades_beneficiarias_consignacao.aspx

Ajudar todos um pouco

Hoje decidi fazer este post, um pouco mais sério do que é habitual.

Ultimamente têm aparecido várias campanhas para apoio aos médicos e profissionais de saúde, como por exemplo para a compra de máscaras, gel desinfetante ou ventiladores. Esta é uma altura em que toda ajuda é pouca, mas queria aproveitar para relembrar que existem muitas outras entidades que tanto no passado, como atualmente, como no futuro, vão continuar a ser bastantes importantes e a precisar da contribuição de todos. Bombeiros, misericórdias, centros paroquiais, cooperativas, casas do povo, jardins de infância, lares, associações de apoio a vítimas de doenças e muitos mais, estão a ser incansáveis na ajuda durante esta pandemia, mas continuarão a fazer o seu trabalho após a COVID-19 "passar".

Como a altura de todos fazermos o nosso IRS está quase a chegar, o meu apelo é que todos nós doemos 0,5% do Rendimento de Pessoas Singulares (IRS) a uma entidade da nossa área de residência que esteja em necessidade ou que esteja a desempenhar um bom trabalho no auxílio à população. A opção de doar parte do IRS não representa um encargo fiscal adicional a quem o faz, uma vez que se trata de uma simples reafectação do dinheiro. Ou seja, em vez de dar entrada nos cofres do Estado, vai para a conta de uma instituição de solidariedade social, de beneficência ou de assistência humanitária.

Fica aqui a minha ideia, para todos nós podermos ajudar um pouco o próximo, em particular nos tempos complicados com que nos deparamos atualmente.

 

Lista de entidades autorizadas:

http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/IRS/Documents/Listagem_entidades_autorizadas_a_beneficiar_da_consignacao_2019.xlsx

 

Lixar o Tuga - A continuação

Resumindo a conversa do Passos Coelho (retirado do Diário Económico):
Privado
  • Aumento da Taxa Social Única (TSU) paga pelos trabalhadores do sector privado de 11% para 18%. O que equivale a menos um salário anualmente.
  • Redução da contribuição das empresas para a Segurança Social de 23,75% para 18%. Uma folga financeira para as empresas que o Governo espera que contribua para a criação de emprego e estímulo à economia. 
Público
  • O Governo vai manter corte de um dos subsídios. E vai repor o outro distribuindo-o por 12 meses de salários, montante sob o qual é aplicado o aumento da TSU em 7 pontos percentuais (também para 18%). Na prática continuam a receber menos dois salários anuais. 

Pensionistas
  • Mantém-se o corte dos dois subsídios de Natal e Férias, para os reformados do sector público e privado, enquanto vigorar o Programa de Assistência Económica e Financeira.
IRS 
  • Será criado um crédito fiscal (devolução) em sede de IRS para proteger os trabalhadores com rendimentos mais baixos do agravamento da TSU para 18%.
E pronto... lá vamos nós de corte em corte a caminho da miséria total.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub