Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Péssima ideia de marketing

Não entendo isto do proprietário do restaurante LAPO insistir em não cumprir as regras de saúde pública. É que podiam fazer um protesto, com distanciamento social e com máscaras, mostrando que era possível estarem abertos cumprindo regras. Mas não. Decidem ir pela onda do negacionismo da doença.

Isto é algo que não faz sentido algum e nem sequer falo da parvoíce típica dos negacionistas. Simplesmente pela questão de marketing é algo que não deve ter sido bem pensado. É que pretendem mostrar-se como lutadores pela liberdade, mas o que fica é que são lutadores pela propagação da COVID-19. É esta a mensagem que passa para todos.

Quem é que, após isto tudo terminar, quererá ir de forma frequente a um restaurante que não tem preocupações com a saúde pública? Se não se preocupam com um vírus que provocou um pandemia mundial, iam preocupar-se com uma coisa mais simples como salmonelas? Outras bactérias? Bolores? Provavelmente são também tudo invenções dos poderes instalados para controlar os carneiros, ovelhas ou lá o que é que eles adoram chamar.

A mensagem que passa é que se não se preocupam que um cliente apanhe Covid-19, então também não devem ficar muito preocupados que um cliente apanhe uma bela caganeira. Péssima ideia de marketing.

Substituição na task force

O coordenador da task force para o Plano de Vacinação contra a COVID-19 em Portugal demitiu-se do cargo. O facto de ter alegado razões nada a ver com o Plano de Vacinação é mesmo à politiquice tuga.

Entretanto já arranjaram um substituto e meteram um elemento das Forças Armadas a coordenar o Plano de Vacinação. Agora sim, vai correr tudo com perícia militar e nada melhor que um militar para estar à frente de uma task force. Bem, desde que não guardem as vacinas em Tancos ou passem a distribuir as vacinas por drones. Se não for nenhum destes dois pontos, estou confiante. É só começar a fuzilar quem passar à frente e está resolvido.

E mesmo que aconteça como em Tancos e as vacinas desapareçam, depois acabam por aparecer e com o bónus de virem ainda mais umas doses. Portanto, isto do Plano de Vacinação estar entregue a alguém das Forças Armadas, parece-me cada vez mais positivo.

Grupo prioritário: o chico-esperto

No início desta semana, num despacho emitido pelo primeiro-ministro António Costa, ficou definido que tinham direito a fazer parte do grupo prioritário titulares de órgãos de soberania, deputados e funcionários da Assembleia. Na lista estão ainda incluídos a Provedora de Justiça, os membros do Conselho de Estado, a magistratura do Ministério Público, os membros dos órgãos próprios das Regiões Autónomas e os presidentes de Câmara, enquanto responsáveis principais da Protecção Civil.

Imaginem só que, por exemplo, um funcionário ou um deputado da Assembleia da República era atropelado. Lá ia o nosso Estado de Direito para o galheiro. Não podemos permitir isso.

Entretanto a Assembleia da República já definiu a lista dos deputados que serão vacinados. Depois de vários deputados recusarem, a lista ficou restringida a 38 deputados (Ferro Rodrigues, PS 26, PSD 6, PCP 2, CDS 1, PEV 1 e Joacine Katar Moreira). No caso da Joacine, claramente que ela só quer ser um dos deputados que irá receber a vacina contra a COVID-19, não por estar a usufruir de um privilégio, mas apenas porque estará em representação de todos aqueles que, devido ao machismo e racismo sistémico que impera no país, não estão a ser vacinados. Jamais Joacine Katar Moreira quereria usufruir de um privilégio por livre e espontânea vontade.

Depois têm aparecido também algumas situações de pessoas em posições de decisão que têm aproveitado o seu cargo para colocarem a si e ao seu círculo mais próximo nos grupos prioritários de vacinação. Parece que o principal grupo prioritário a receber a vacina passou a ser o chico-esperto.

A notícia mais recente é a dos funcionários da pastelaria ao lado da delegação regional do Norte do INEM, no Porto, a serem vacinados. Muita gente tem-se mostrado indignada com esta situação, mas não me parece correcto. Então depois como é que os funcionários do INEM que estão no escritório, poderiam cumprir o seu trabalho fundamental sem terem pessoas para lhes servirem um cimbalino e um croissant misto nas suas pausas? Quem nunca deu de gorjeta vacinas que atire a primeira pedra!

O próprio coordenador da vacinação contra a COVID-19 até já veio afirmar que todos estes casos só são imorais para quem votou no André Ventura. Como é óbvio! Só é curioso o Ministério da Saúde ter emitido um comunicado em que considerava inaceitável a utilização indevida das vacinas e lembrou que os erros nessa administração podem constituir conduta disciplinar e ser punível criminalmente. Talvez a Marta Temido tenha votado no André Ventura também, não sei.

Da minha parte, eu acho que os ursos de peluche azuis e suas famílias deviam ser considerados nos grupos prioritários para tomar a vacina. Porquê? Não sei bem. Mas se temos um Plano de Vacinação que de "plano" parece ter pouco, uma falta de noção do que "definir prioridades" significa, constantes pedidos de inserir o seu grupo específico à frente dos outros, uma espécie de síndrome da pessoa que se está a afogar no mar e que não se importa de afogar o próximo para se salvar, então não vejo nenhum motivo para os ursos de peluche azuis, uma espécie em vias de extinção, não serem já os próximos a serem vacinados.

Quem tem cu tem medo

Nos últimos dias surgiu a notícia que a China começou a fazer uma triagem retal a vários contactos de risco e a viajantes vindos do estrangeiro.

Tendo em conta a propagação do coronavírus, é bastante provável que já nos próximos meses essa técnica venha também a ser adoptada em Portugal.

Ora, assim de repente, estas parecem-me algumas das consequências:

  • Muita gente a fugir com o cu à zaragatoa, havendo possivelmente mais infectados por detectar;
  • Simultaneamente, as pessoas tomam mais cuidado para não se infectarem e terem de fazer o teste;
  • Diana Cu de Melancia devia ser a porta-voz da campanha de sensibilização em Portugal;
  • Os jogadores de futebol nunca mais se vão poder sentar;
  • Comunidade gay vai ser a mais bem testada;
  • Mais conflitos nos relacionamentos, "Ah, não queres fazer? Mas quando foi para fazer o teste não te queixaste!";
  • Vamos ter centros de testes Drive Thru em que a pessoa mete o cu de fora à janela do carro;
  • "Vá, não chora!... Aguenta... Está todo lá dentro!" poderá passar a ouvir-se em contexto médico.

Deixo aqui também a minha sugestão que pessoas que não cumpram os confinamentos e directivas da DGS sejam assinaladas. Não para lhes serem negados as prestações a serviços de saúde. Nada disso. Simplesmente para quando for para serem sujeitos a testes à COVID-19, seja esta técnica anal a utilizada. Mas com um piaçaba.

O coronabicho ficou mais pequenino?

máscaras

Faz quase um ano que estamos a utilizar máscaras cirúrgicas ou máscaras comunitárias certificadas. Dizem-nos que funcionam bem e tal para evitar transmitir o SARS-CoV-2 aos outros. Tudo perfeito. Agora, com as novas estirpes, já começa a aparecer a ideia que vamos ter de passar a andar com os respiradores FFP2.

Então as novas mutações do coronabicho tornaram as gotículas que expelimos mais pequenas e ninguém disse nada? É isso? Ficou um bichinho anão, mais perigoso, que passa mais facilmente pelos buraquinhos da máscara? Ou antes era tudo treta? Vá lá, médicos e cientistas, decidam-se.

É que com estas mudanças de direcção, depois não se podem admirar de virem para aí os negacionistas dizer coisas.

O novo milagre português

No início da pandemia, toda a gente falava da nossa incrível capacidade de combate à COVID-19. O tão aclamado "milagre português". Agora, com os números de infectados e mortos a subirem, toda a gente pergunta onde é que está o milagre.

Não se enganem, nós continuamos a ter um milagre. O novo milagre português está aí, só que é diferente. Desta vez temos o milagre da transformação de pulmões em ventiladores e da multiplicação dos caixões. Sabem, os milagres não são sempre todos iguais.

Começou a vacinação!

5G.jpg

Há cerca de um mês escrevi que a próxima teoria da conspiração que iria aparecer quando as vacinas contra a COVID-19 estivessem disponíveis seria que os políticos e profissionais de saúde que as tomassem na realidade não estariam a tomar a vacina, mas a fingir que a tomavam.

Entretanto hoje começou a campanha de vacinação em Portugal e, menos de três horas após o seu início, já li que a seringa era falsa e que a agulha recolhia. Estes conspiracionistas são tão previsíveis.

Acaba por ser curioso que o pessoal que dizia para não termos medo de um vírus são os mesmos que agora dizem para termos medo de uma vacina. Estão ali ansiosos para que apareça o primeiro vacinado a ter uma complicação qualquer. Ou então, se for passando o tempo e não for aparecendo, é porque estão a esconder a informação. Ganham sempre.

Meus caros amigos conspiracionistas, negacionistas e afins, não desesperem mais, posso dizer-vos com certezas absolutas que já há um caso de alguém que tomou a vacina e quando andou para trás começou a fazer "pi pi pi pi" como os veículos pesados e outro que começou a apanhar os canais da televisão por cabo pelo 5G, incluindo os canais codificados por um período de 15 dias. Sei de fonte segura, foi um amigo de uma vizinha da prima do irmão do meu pai que ouviu quando passava à porta do Hospital de São João. Podem agora espalhar por aí essa informação.

Realmente, porque será?

Ontem saiu a notícia que a taxa de incidência da gripe na temporada 2020/2021 até ao momento é nula. Isto significa que ao longo das primeiras semanas da época gripal verificaram-se apenas casos pontuais.

Foi um então um excelente dia para os negacionistas, que estavam muito calados desde o completo fracasso do caso sueco, retomarem toda a sua actividade para virem dizer que os casos identificados como COVID-19 são é gripe e que as máscaras são uma falsidade, porque se protegem da gripe como é que não protegem da Covid... Várias teorias para depois alimentarem o Polígrafo da SIC e serem deitadas completamente abaixo.

Aparentemente é difícil entender como é que um vírus maioritariamente sazonal, com taxa de contágio mais baixa, com vacina disponível, com medidas de contenção aplicadas um pouco por tudo o mundo que indirectamente diminuíram a sua propagação, com as pessoas a dirigirem-se menos às unidades de saúde, tem uma taxa de infecção praticamente nula detectada no início da sua época habitual. Realmente é incompreensível... Para quem não entende ciência, só pode ser bruxedo ou então uma conspiração qualquer para promover a COVID-19.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub