Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Prognósticos das Eleições Presidenciais 2011

Eu sou a favor do "prognósticos só no fim do jogo", como tal esta parece-me a melhor altura para fazer os meus prognósticos (mandar uns bitaites) acerca das eleições presidenciais após estas terem terminado.
O grande vencedor desta eleição foi a abstenção podendo-se concluir que o grande derrotado foi o país. No entanto, uma coisa boa que se pode aprender com os políticos é que muitos conseguem ver o copo meio cheio na altura da derrota.
Defensor Moura deu-se como derrotado, porque sempre afirmou que a sua candidatura era anti-Cavaco. No entanto, disse que a sua campanha serviu para fazer "estalar o verniz" de Cavaco Silva e por isso tinha sido positiva. Aproveitou para dizer por palavras um pouco mais leves que Cavaco Silva é um nojo e o que vulgarmente se chama de um grande filho-da-mãe, recusando-se a felicitar o vencedor. Mais tarde, Cavaco viria a dar-lhe razão.
José Manuel Coelho também se mostrou triste por Cavaco Silva ter sido reeleito à 1ª volta, mas sendo o único candidato anti-sistema valorizou (e bem) os seus 4.5%. Com sorte, pode ser que daqui a uns tempos vejamos José Manuel Coelho como deputado a mandar bojardas na Assembleia da República. Pode ser que espevite um bocado o sistema.
Francisco Lopes, tal como os restantes oponentes de Cavaco, não gostou que Cavaco Silva tivesse ganho. Também teve menos votos que Jerónimo de Sousa à 5 anos, mas a vantagem de ser comunista numas eleições é que o PCP nunca perde, nem que seja por "manter o seu eleitorado" (apesar de não saber bem o que isso significa, presumo que seja uma forma de aferirem a taxa de mortalidade dos velhos comunistas).
Fernando Nobre uns dias antes das eleições dizia "Dêem-me um tiro na cabeça porque sem um tiro na cabeça eu vou para Belém", mas depois no final referiu que ele é que tinha sido o grande vencedor com uma candidatura independente histórica. Confirma-se mais uma vez que quando Fernando Nobre discursa o sangue deixa-lhe de fluir para a cabeça e diz coisas estapafúrdias. Ainda nas eleições anteriores, Manuel Alegre como independente e contra Cavaco Silva, Mário Soares, Francisco Louçã e Jerónimo de Sousa (basicamente os jokers todos) conseguiu uma percentagem maior do que Fernando Nobre. Comparada com essa candidatura, a candidatura de Fernando Nobre (contando com o apoio disfarçado dos Socialistas "anti-Alegre"), apesar de importante para manter aberto o espaço dos independentes, não me parece assim tão histórica.
Manuel Alegre estaria à espera que os votos de à 5 anos se mantivessem e mais alguns se juntassem. Enganou-se redondamente e, por isso, não tinha por onde pegar, sendo o único que não conseguiu arranjar algo de positivo para tirar das eleições e salvar-se um pouco. José Sócrates, por sua vez, deve ter ficado contente por, em princípio, ter despachado o poeta Alegre de vez.
Finalmente, Cavaco Silva. Cavaco Silva mantém-se como Presidente da República e ficou todo feliz por ter sido eleito com o menor número de votos de sempre. Apesar de ter sido eleito à 1ª volta, mais de metade dos portugueses que foram votar (contando com os votos nulos e brancos) não votou em Cavaco, o que indica que menos de 1/4 dos putativos eleitores portugueses votou no senhor Silva. Viva o presidente de todos os portugueses! Para Cavaco Silva a vitória foi ainda maior, porque teve a oportunidade de falar em último lugar e libertar toda a raiva acumulada ao longo da campanha eleitoral sem que os outros já pudessem voltar a falar. Fez dois discursos virados para o passado e cheios de ressentimento, dividindo os portugueses nos bons (os que votaram neles) e os maus (os que votaram nos outros). Viva o presidente de todos os portugueses!

 

Nota 1: Pedro Passos Coelho teve o discurso mais sério e racional da noite eleitoral.
Nota 2: Engraçado o problema dos Cartões do Cidadão.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub