Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

Urso Tobias

Tobias, or not Tobias, that is the question. Divagações de um urso.

FaTAPismo Religioso

Só os fanáticos religiosos da Iniciativa Liberal acham que nos podemos dar ao luxo de deixar cair a TAP.

Na audição da Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, o ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, saiu-se com esta magnífica afirmação. A Iniciativa Liberal deve ter ficado radiante por ter ficado a saber que afinal têm mais apoiantes do que pensavam.

Eu acredito que, não querendo deixar cair a TAP, mal por mal, mais vale ficar com ela. Entre estar a dar dinheiro para uma coisa que não é minha ou para uma que é, eu costumo preferir a segunda opção. Sempre ficamos com os aviões que depois podem dar muito jeito para começar a transportar os passageiros da Linha de Sintra nas horas de ponta, já que não há dinheiro para mais comboios.

Estou a brincar. Não há nada necessidade de meter os aviões a fazer isto. Em média, os comboios na Área Metropolitana de Lisboa nem sequer vão cheios. Pelo menos foi o que Pedro Nuno Santos referiu. Para ele, se eu não comer nenhum pão e ele comer dois, significa que, em média, ambos comemos um pão, portanto eu só tenho de estar calado e não me queixar de estar com fome.

Benfica a cumprir as recomendações da DGS

Luís Filipe Vieira, após demitir Rui Vitória, disse que os benfiquistas ainda iriam ter muitas saudades suas. Foi uma profecia que infelizmente se concretizou.

Dizem que o tempo cura tudo. No caso do futebol, os maus resultados do presente, fazem parecer os trabalhos do passado melhores. Bruno Lage que no ano passado era o maior, agora é uma porcaria. Rui Vitória já não parece assim tão mau. Jorge Jesus parece um génio. É sempre assim.

Com os jogadores é a mesma coisa. A super-equipa do Benfica de agora faz parecer que as equipas dos finais dos anos 90 e início dos anos 2000 estavam cheias de craques. Um benfiquista agora vê Ruben Dias e lembra-se de João Manuel Pinto, vê Seferovic e lembra-se de Pringle, vê Dyego Sousa e lembra-se de Karadas, vê Pizzi e lembra-se de Carlitos, vê Gabriel e lembra-se de Andrade, vê Ferro e lembra-se daqueles pinos que se usam para treinar os livres. Até o Mantorras ainda era capaz de dar uma perninha agora para os últimos minutos. Mas só uma, porque a outra já se foi mesmo.

Como benfiquista, tenho de agradecer a Bruno Lage pelo campeonato do ano passado e desejar-lhe o melhor para o futuro. Bruno Lage merece. Parece ser uma pessoa séria, o que dentro do mundo do futebol parece ser cada vez mais raro. Tem competência, mas perdeu-se. Acontece.

Ficamos todos à espera de ver também o que irá acontecer com Luís Filipe Vieira. Não podemos ficar constantemente presos ao fantasma do Vale e Azevedo. A ficar, tem de ser com um projeto de futuro e não pela ameaça do medo do passado. Saindo, não iria de deixar de ter uma certa piada vê-lo cair antes de Pinto de Costa. Pinto da Costa está para os presidentes de clubes como a Rainha Elizabeth II está para a monarquia, ambos se mantém firmes enquanto todos à volta vão sucumbindo.

Já que o Benfica decidiu ajudar a cumprir com as recomendações da DGS, evitando a todo o custo ajuntamentos no Marquês, resta-me desejar que a equipa se vá segurando até ao final e que Eusébio nos livre do Sporting ainda os apanhar. É que estamos na época do melão e da melancia e não sei se muitos benfiquistas aguentariam com tamanha fruta.

Chega de manifestações

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que a democracia não tinha sido suspensa com a pandemia. Esta é uma frase acertada, mas que abriu a porta a um conjunto de iniciativas partidárias e sociais que deveriam ficar para outras alturas sanitariamente mais calmas. Não falo sequer das comemorações do 25 de Abril e do 1 de Maio que, apesar de não concordar com a forma como foram realizadas, ainda dou de barato por serem datas especiais. Refiro-me sim às manifestações pós-desconfinamento.

Eu olho para os nossos partidos dos extremos e imagino-os como daquelas crianças mimadas, mal-educadas, que fazem birras a toda a hora para obrigarem os pais a fazerem o que elas querem. Tipo a filha da minha vizinha do lado… Mas isso já é outro assunto… voltando ao tema. Como miúdos mimados, para terem atenção, têm de fazer barulho, ou seja, manifestações. E têm de ser quando eles querem! Ai de quem os contrarie…

Começámos então com a manifestação contra o racismo, Black Lives Matter style, que serviu para o Bloco de Esquerda e a Joacine Katar Moreira se colarem a ela e surfarem na onda. Foi agradável voltar a ver a Joacine que andava desaparecida. Ouvi-la a vociferar, sem gaguejar, frases com um toquezinho racista numa manifestação antirracista é algo que enche o coração. Mas aparentemente só os caucasianos é que são racistas, deve ser uma forma de white privilege qualquer… Ora, como esta era uma manifestação com motivações bem intencionadas, Governo e DGS abençoaram-na, impedindo assim que o vírus se propagasse em quem nela participou.

Esta semana tivemos a manifestação da CGTP, apoiada pelo PCP, com cerca de 400 pessoas. A CGTP que já tinha sido tão bem vista no 1 de Maio, decidiu repetir a dose, logo no dia do anuncio das medidas restritivas para a zona de Lisboa e Vale do Tejo. Manifestantes a dizer que é só seguir algumas recomendações da DGS para prevenir contágio e que há os serviços médicos para fazerem o seu trabalho. Cereja no topo do bolo, a secretária-geral da CGTP, defendendo a manifestação, dizendo que não se pode confundir com eventos particulares, que aquele é um direito dos trabalhadores. O coronavírus é capitalista e não infecta camaradas comunistas.

Finalmente, ontem, tivemos a manifestação organizada pelo CHEGA contra a manifestação contra o racismo, mas que não é a favor do racismo. Devo confessar que em termos lógicos é uma equação complicada de perceber. Tem demasiadas negações.

André Ventura que sempre se colocou contra a realização de todas as manifestações anteriores achou por bem que esta é que se deveria realizar. Em termos lógicos, esta também é uma equação complicada de perceber, mas se há algo que podemos sempre contar é que André Ventura apregoe uma coisa e faça outra. Isto acaba por facilitar um bocado.

Logo no dia em que saiu um estudo europeu que diz que 62% dos portugueses manifestam comportamentos racistas, uma manifestação com o mote “Portugal não é racista”. Timing perfeito. Para estes manifestantes, Portugal é o único país no Mundo onde não há racismo. Deve ter havido algum decreto ou assim, como o que fizeram na Câmara Municipal de Lisboa, que limpou o racismo do país. Curiosamente, enquanto André Ventura proclamava que Portugal não é um país racista, dizia também que rejeitava sustentar minorias, minorias estas que querem continuar a não fazer nada. Elogiando de seguida polícias, professores, profissionais de saúde, motoristas de transportes públicos e empresários. Foi deveras educativo saber que estas profissões não contêm pessoas pertencentes a minorias. Nunca pensei.

Bem, o André Ventura lá fez o seu caminho pela Avenida da Liberdade abaixo, liderando a sua trupe de apoiantes, lado a lado com a sua fã número um, Maria Vieira, e com um manifestante negro à frente e sempre em destaque. Mais um sinal óbvio de que não podem ser racistas, porque até têm um amigo que é preto.

Chegado ao Terreiro do Paço, André Ventura agradeceu a todos que o acompanharam, por não o terem deixado caminhar sozinho. Não sei se ele é o único português que tem medo de descer a pé, a Avenida da Liberdade, num Sábado à tarde, sozinho ou se foram resquícios da vitória do Liverpool no campeonato que fizeram dizer aquilo. Ficou a dúvida.

Portanto, partidos políticos, por favor, deixem todas estas manifestações que a maioria dos portugueses não quer saber para nada para daqui a uns meses. Esperem que a taxa de infeção pelo coronabicho fique mais baixa e depois, aí sim, realizem todas as manifestações patetas que vos der na telha. Isso sim, os portugueses agradeciam.

Luís Filipe Vieira, espectador assíduo das conferências de imprensa da DGS

A partir de ontem, com o chumbo do orçamento na Assembleia Geral do Benfica, o Luís Filipe Vieira passará a ser dos espectadores mais assíduos das conferências de imprensa da DGS e do Ministério da Saúde. O seu interesse em que o coronavírus não se espalhe ou que apareça uma vacina rapidamente nos próximos 4 meses disparou abruptamente.

É que se o vírus começa a apanhar os velhotes benfiquistas, lá se vão aqueles conjuntos de 50 votos e, consequentemente, lá se vão as próximas eleições presidenciais do Benfica.

Violência Doméstica Institucional

ministra da saude.JPG

Isto já parece aquelas mulheres vítimas de violência doméstica que acreditam que a culpa de apanharem é delas, mas que se portarem bem o companheiro não as vai agredir mais.

A Ministra da Saúde está numa relação abusiva com o Primeiro-Ministro e não se está a dar conta disso. Os sinais estão lá e todos sabemos como estas situações terminam sempre. Ou ela pede demissão do cargo e consegue fugir ou então o Primeiro-Ministro mata-a politicamente.

Destemidas

Destemidas-RTP2[1].png

Eu não sei quem pediu para acabar com o programa "Destemidas", mas, quem quer que seja, é burro quem nem uma porta.

Começa logo mal por se querer acabar com algo só porque não se concorda com o conteúdo. E estou-me a cagar se são de direita ou de esquerda, isso por si só é altamente estúpido. Não gostas, não vês. Muda de canal, é só carregar num botão do comando, não dá muito trabalho. Mas pronto, vamos dar essa estupidez de barato, porque todos sabemos que infelizmente há pessoas assim que, coitadas, não receberam todos os nutrientes quando eram pequenas.

Agora, o mais idiota é pedir isso para um programa da RTP2. Da RTP2! Ninguém vê a RTP2. Pior, é dar notoriedade a um programa que ninguém vê, mas que, só por causa da controvérsia criada, as pessoas vão acabar por ir ver por curiosidade. É o mesmo que dizer "Não vejam, não vejam isto para o qual eu estou a apontar!". Nem faz sentido sequer racionalmente para quem tiver dois dedos de testa. É todo um outro nível de parvoíce associada.

Divergências políticas no PAN

O que é que se passa com o PAN para agora ter uma data de saídas por divergências políticas?

É difícil perceber como é que há divergências políticas no PAN, até porque não se sabe quais são as políticas do partido, quanto mais saber o que se pode ter divergências. No entanto, aposto que a haver divergências políticas na trindade Pessoas-Animais-Natureza só podem ser nas Pessoas. Provavelmente alguém deve ter pedido um bitoque no último jantar do partido ou assim.

Bem, só têm de ter cuidado, porque se continuam a este ritmo daqui a pouco tempo passa a ser apenas AN.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D